segunda-feira, 3 de agosto de 2009

Tempo da Vida

Pouco há do ontem que valha o hoje,
e do amanhã que seja já presente...
pouco há da gente o que se foi,
ou o que ficou, do nada que ficou,
do tudo, que já a muito se foi,
pois já passou!
Habito no tempo do agora,
e me é dado o cheiro das ruas,
as avenidas congestionadas,
e as estradas cortantes e nuas,
é-me dado o tempo que faço,
e que desfaço sem o agora,
preso no ontem e hoje da vida,
uma que não se tem,
e a outra que já se foi embora.

2 comentários:

rosabiano disse...

Maravilhoso menino do rio, a forma como você expressa, a intensidade de tudo quanto escreve. bjs

Flávia Côrtes disse...

Adorei os versos. Muito do jeito que eu vivo a minha vida também, sabe. "habitar o tempo do agora"... "é-me dado o tempo que faço"... lindo isso.

Quem sou eu

Minha foto
Sou uma pessoa que sempre teve um grande e intenso mundo interior, e que no entanto nunca consegui se fazer ouvido ou entendido, então comecei a escrever a fim de aliviar esse contexto interno, passando então a me auto-conhecer, e nesse processo acabei descobrindo o que realmente mais gosto e quero fazer. E mais importante, a cada dia me sinto mais livre e contextualizado com o meu mundo, com as pessoas e com o meu Deus, que é a base de toda estrutura da minha vida. Toda Glória pois a Ele! Deixo pois aqui alguns de meus poemas para que possa despertar nas pessoas que vivem a mesma coisa e ainda não romperam com a convenções! Abraço a Todos. Fraternalmente!

Seguidores